O DIREITO FUNDAMENTAL À ADEQUAÇÃO CONSTITUCIONAL DA SENTENÇA CRIMINAL E O INSTITUTO PROCESSUAL DA CADEIA DE CUSTÓDIA DAS PROVAS DIGITAIS

O DIREITO FUNDAMENTAL À ADEQUAÇÃO CONSTITUCIONAL DA SENTENÇA CRIMINAL E O INSTITUTO PROCESSUAL DA CADEIA DE CUSTÓDIA DAS PROVAS DIGITAIS

Autores

Resumo

THE FUNDAMENTAL RIGHT TO THE CONSTITUTIONAL ADEQUACY OF THE CRIMINAL SENTENCE AND THE PROCEDURAL INSTITUTE OF THE CHAIN OF CUSTODY OF DIGITAL EVIDENCE

ÁREA(S): direito constitucional; processo penal.

RESUMO: O artigo aborda o instituto processual da cadeia de custódia, que se destina à preservação da prova, evitando a sua violação desde a perspectiva da existência de um verdadeiro direito fundamental à prolação de uma sentença criminal correta e justa. Assume – à partida – que a correta reprodução dos fatos históricos é imprescindível para que sejam proferidas decisões corretas e à aspiração da justiça, mormente para se evitar condenações de inocentes. Para tanto, a prova pericial, que na atualidade é dotada de um protagonismo inédito, deve ser cuidadosamente preservada, o que passa pela cadeia de custódia: a contribuição do presente trabalho. Cuida-se de pesquisa que se ampara no método empírico e dedutivo, centrando sua análise na dogmática jurídica.

ABSTRACT: The article addresses the procedural institute of the chain of custody, which is intended for the preservation of evidence, avoiding its violation, from the perspective of the existence of a true fundamental right to the delivery of a correct and fair criminal sentence. It assumes, at the outset, that the correct reproduction of the historical facts of the facts is fundamental for the right decisions to be made, the aspiration of justice, particularly to avoid convictions of innocent sororities. To this end, the expert evidence, which is currently endorsed with an unprecedented role, must be carefully preserved, which goes through the chain of custody, the contribution of this work. Research is based on empirical and deductive method, focusing its analysis on legal dogmatics.

PALAVRAS-CHAVE: direitos fundamentais processuais; devido processo legal; direito probatório; cadeia de custódia da prova penal.

KEYWORDS: fundamental procedural rights; due process of law; evidence truth; chain of custody of criminal evidence.

SUMÁRIO: Introdução; 1 O direito fundamental a uma decisão justa e a questão da gestão probatória; 2 O processo, a verdade e a atividade probatória; 3 A cadeia de custódia das provas digitais; Conclusão; Referências.

SUMMARY: Introduction; 1 The fundamental right to a fair decision and the question of evidential management; 2 The process, the truth and the evidential activity; 3 The chain of custody of digital evidence; Conclusion; References.

Biografia do Autor

José Francisco Dias da Costa Lyra, URI, Santo Ângelo/RS, Brasil.

Doutor em Direito pela UNISINOS. Professor do Programa de doutorado e mestrado em Direito da URI – Santo Ângelo. Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.

Jhonathan Löwe, FMP, Porto Alegre/RS, Brasil.

Pós-graduado em Direito Civil e Direito Processual Civil, assim como em Direito Tributário e Processo Tributário (LLM), ambos pela FMP – RS. Assessor Jurídico da Prefeitura de Giruá/RS. Advogado.

Referências

ALBRECHT, P.-A. Criminologia: uma fundamentação para o direito penal. Curitiba: ICPC; Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.

ANDRADE, M. F. Sistemas processuais penais e seus princípios reitores. Curitiba: Juruá, 2012.

ÁVILA, H. B. O que é “devido processo legal”? Revista de Processo, São Paulo, v. 33, n. 163, p. 50-59, set. 2008.

ÁVILA, H. Competências tributárias: um ensaio sobre a sua compatibilidade com as noções de tipo e conceito. São Paulo: Malheiros, 2018.

BADARÓ, G. H. Processo penal. 7. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2019.

BELTRÁN, J. F. Prova e verdade no direito. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2017.

BELTRÁN, J. F.; VÁSQUEZ, C. (ed.). Debatiendo com Taruffo. Madri: Marcial Pons, 2016.

BORDILLO, A. Tratado de derecho administrativo y obras selectas: la defensa del usuario e del administrado. Buenos Aires: Fundación de Derecho Administrativo, 2014.

BOVERO, M. La protección supranacional de los derechos fundamentales y la ciudadanía. México: Tribunal Electoral del Poder Judicial de la Federación, 2013.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 2 jun. 2020.

BRASIL. Decreto-Lei nº 3.689, de 3 de outubro de 1941. Código de Processo Penal de 3 de outubro de 1941. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del3689.htm. Acesso em: 10 maio 2020.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 1511-MC/DF. Medida cautelar na ação direta de inconstitucionalidade. Requerentes: Partido Comunista do Brasil – PCdoB, Partido dos Trabalhadores – PT e Partido Democrático Trabalhista – PDT. Requeridos: Presidente da República e Congresso Nacional. Relator: Min. Carlos Velloso. Julgamento: 16 de outubro de 1996. Brasília, DF. Disponível em: https://jurisprudencia.stf.jus.br/pages/search/sjur14976/false. Acesso em: 2 jun. 2020.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Habeas Corpus nº 160.662/RJ. Relatora: Ministra Assusete Magalhães. Julgamento: 18 de fevereiro de 2014. Brasília, DF. Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/864482320/habeas-corpus-hc-160662-rj-2010-0015360-8/inteiro-teor-864482321. Acesso em: 7 jun. 2020.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Habeas Corpus nº 96864. Relatora: Min. Cármen Lúcia. Redator do acórdão: Min. Marco Aurélio. Paciente: Dorotil de Aparecida Lima da Cruz. Impaciente: Defensoria Pública do Estado de São Paulo. Coator: Superior Tribunal de Justiça. Brasília, DF: 20 out. 2009. Disponível em: https://portal.stf.jus.br/processos/detalhe.asp?incidente=2648329. Acesso em: 2 jun. 2020.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ministro Luiz Fux suspende criação de juiz de garantias por tempo indeterminado. Brasília, DF: Imprensa STF, 2020. Disponível em: encurtador.com.br/hmCRT. Acesso em: 7 jun. 2020.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Pesquisa de jurisprudência internacional. Boletim, Brasília, DF, n. 11, 7 nov. 2018. Disponível em: http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/jurisprudenciaBoletim/anexo/Pesquisa11Garantiacontraautoincriminao.pdf. Acesso em: 20 maio 2020.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula Vinculante nº 14. Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/jurisprudencia/menuSumario.asp?sumula=1230#:~:text=%C3%89%20direito%20do%20defensor%2C%20no,exerc%C3%ADcio%20do%20direito%20de%20defes. Acesso em: 20 maio 2020.

CANOTILHO, J. J. G. et al. (coord.). Comentários à Constituição do Brasil. São Paulo: Saraiva: Almedina, 2014.

CANOTILHO, J. J. G. et al. Direito constitucional e teoria da Constituição. 6. ed. Coimbra: Almedina, 1997.

COSTA, D. E. A. da. Justiça, verdade e prova penal. Revista Brasileira de Ciências Criminais, São Paulo, n. 161, p. 187-225, nov. 2019.

COUTINHO, J. N. M.; DE PAULA, L. C.; SILVEIRA, M. A. N. da (org.). Mentalidade inquisitória e processo penal no Brasil 1-2: diálogos sobre processo penal entre Brasil e Itália. Curitiba: Observatório de Mentalidade Inquisitória, 2019.

DIDIER JR., F. et al. Curso de direito processual civil: teoria da prova, direito probatório, decisão, precedente, coisa julgada e tutela provisória. Salvador: JusPodivm, 2017.

FERRAJOLI, L. Escritos sobre derecho penal: nascimiento, evolución y estado actual del garantismo penal. Buenos Aires: Hammurabi, v. 3, 2018.

FOUCALT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1987.

GLOECKNER, R. J. Plea bargaining. São Paulo: Tirant lo Blanch, 2019.

ILLINOIS. Supreme Court. Brown v. Illinois. 422 U.S. 590 (1975). Chicago, Illinois, jun. 26, 1975. Disponível em: https://www.oyez.org/cases/1974/73-6650. Acesso em: 20 maio 2020.

KAUFMANN, A. Filosofia do Direito. 4. ed. Tradução: António Ulisses Cortês. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2010.

KHALED JR., S. H. A busca da verdade no processo penal: para além da ambição inquisitorial. 3. ed. Belo Horizonte: Letramento: Casa do Direito, 2020b.

KHALED JR., S. H. A produção analógica da verdade no processo penal. Revista Brasileira de Direito Processual Penal, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 166-184, 2015.

KHALED JR., S. H. Ambição de verdade no processo penal: uma introdução. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2020a.

LOPES JÚNIOR, A. Direito processual penal e sua conformidade constitucional. 4. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, v. 1, 2009.

LOPES JÚNIOR, A. Direito processual penal. São Paulo: Saraiva, 2014.

LOPES JÚNIOR, A. Introdução crítica ao processo penal: fundamentos da instrumentalidade garantista. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2005.

MALAN, D. Métodos ocultos, devido processo e o enfrentamento à criminalidade organizada. In: BRITO CRUZ, F.; SIMÃO, B. (ed.). Direitos fundamentais e processo penal na era digital: doutrina e prática em debate. São Paulo: InternetLab, v. 4, 2021. E-book.

MARINONI, L. G.; MITIDIERO, D. Direitos fundamentais processuais. In: SARLET, I. W.; MARINONI, L. G.; MITIDIERO, D. Curso de direito constitucional. São Paulo: Saraiva, 2017. E-book.

MATTOS, S. L. W. de. Devido processo legal e proteção de direitos. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2009.

MIRZA, F. Processo justo: o ônus da prova à luz dos princípios da presunção da inocência e do in dubio pro reo. Revista Eletrônica de Direito Processual, Rio de Janeiro, v. 5, n. 5, p. 540-559, 2010.

MITIDIERO, D. Direito fundamental ao processo justo. Revista Lex Magister de Direito Civil e Direito Processual Civil, Porto Alegre, v. 8, n. 45, p. 22-34, nov./dez. 2011.

OLIVEIRA, R. M. de. Juízo e prisão: ativismo judicial no Brasil e nos EUA. Porto Alegre: Boutique Jurídica, 2018.

PERFECTO, A. I. Sobre prueba y proceso penal. Discusiones, Alicante n. 3, a. 2003, p. 55-66, 2008. Disponível em: http://www.cervantesvirtual.com/nd/ark:/59851/bmcb2896. Acesso em: 2 jun. 2020.

PRADO, G. A cadeia de custódia da prova no processo penal. São Paulo: Marcial Pons, 2019.

PRADO, G. Prova penal e sistema de controles epistêmicos: a quebra da cadeia de custódia das provas obtidas por métodos ocultos. São Paulo: Marcial Pons, 2014.

REICHELT, L. A. Direito ao processo justo e direitos fundamentais processuais. In: REICHELT, L. A.; DALL’ALBA, F. C. (org.). Primeiras linhas de direito processual civil. Teoria geral do processo civil. Porto Alegre: Livraria do Advogado, v. 1, 2016.

ROSA, A. M. da. A superação dos sistemas inquisitório e acusatório com exigência do devido processo legal substancial. In: PRADO, G.; MALAN, D. (org.). Processo penal e direitos humanos. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2014.

ROXIN, C. La ciência del derecho penal ante las tareas del futuro. In: ESER, A.; HASSEMER, W.; BURKHARDT, B. (org.). La ciência del derecho penal ante el nuevo milênio. Valência: Tirant lo Blanch, 2004.

SANTORO, A. E. R.; TAVARES, N. L. F.; GOMES, J. de C. O protagonismo dos sistemas de tecnologia da informação na interceptação telefônica: a importância da cadeia de custódia. Revista Brasileira de Direito Processual Penal, Porto Alegre, v. 3, n. 2, p. 605-632, maio/ago. 2017. Disponível em: https://doi.org/10.22197/rbdpp.v3i2.76. Acesso em: 7 jun. 2020.

SHAH, M. S. M. B.; SALEEM, S.; ZULQARNAIN, R. Protecting digital evidence integrity and preserving chain of custody. Journal of Digital Forensics, Security and Law, Daytona Beach, v. 12, n. 2, p. 120-130, 2017.

SILVA JÚNIOR, W. N. da. Curso de direito processual penal: teoria (constitucional) do processo penal. Rio de Janeiro: Renovar, 2008.

TARUFFO, M. Algunas consideraciones sobre la relación entre prueba y verdad. Discusiones, Alicante n. 3, a. 2003. Disponível em: http://www.cervantesvirtual.com/nd/ark:/59851/bmckk9s2. Acesso em: 2 jun. 2020.

TARUFFO, M. Ensaios sobre o processo civil: escritos sobre processo e justiça civil. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2017a.

TARUFFO, M. La prueba de los hechos. Madrid: Trotta, 2002.

TARUFFO, M. La prueba de los hechos. Madrid: Trotta, 2005.

TARUFFO, M. Prólogo da edição espanhola. In: BELTRÁN, J. F. Prova e verdade no direito. São Paulo: Marcial Pons, 2017b.

TARUFFO, M. Verdad, prueba y motivación en la decisión sobre los hechos. México: Tribunal Electoral del Poder Judicial de la Federación, 2013.

TAVARES, A. R. Curso de direito constitucional. 15. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

TAVARES, J.; CASARA, R. Prova e verdade. São Paulo: Tirant lo Blanch, 2020.

TEXAS. Court of Appeals. Fourteenth District. Kaupp v. Texas. 538 U.S. 626 (2003). Texas, 5 maio, 2003. Disponível em: https://www.oyez.org/cases/2002/02-5636. Acesso em: 21 maio 2020.

TIEDEMANN, K. O direito processual penal. In: ROXIN, C.; ARZT, G.; TIEDEMANN, K. Introdução ao direito penal e ao direito processual penal. Belo Horizonte: Del Rey, 2007.

Publicado

2023-08-22

Como Citar

LYRA, J. F. D. da C.; LÖWE, J. O DIREITO FUNDAMENTAL À ADEQUAÇÃO CONSTITUCIONAL DA SENTENÇA CRIMINAL E O INSTITUTO PROCESSUAL DA CADEIA DE CUSTÓDIA DAS PROVAS DIGITAIS. Revista da AJURIS - QUALIS A2, [S. l.], v. 50, n. 154, p. 185–220, 2023. Disponível em: https://revistadaajuris.ajuris.org.br/index.php/REVAJURIS/article/view/1246. Acesso em: 17 jun. 2024.

Edição

Seção

DOUTRINA NACIONAL
Loading...