A IRRADIAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DA ISONOMIA E DA CAPACIDADE CONTRIBUTIVA SOBRE TRIBUTOS EXTRAFISCAIS: UMA ANÁLISE DA JURISPRUDÊNCIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

A IRRADIAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DA ISONOMIA E DA CAPACIDADE CONTRIBUTIVA SOBRE TRIBUTOS EXTRAFISCAIS: UMA ANÁLISE DA JURISPRUDÊNCIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Autores

Resumo

THE IRRADIATION OF THE PRINCIPLES OF ISONOMY AND CONTRIBUTION CAPACITY ABOUT TAXES OF EXTRAFISCAL: AN ANALYSIS OF THE JURISPRUDENCE OF THE SUPREME FEDERAL COURT

ÁREA(S): direito tributário; direito constitucional.

RESUMO: Dentro do atual contexto do Estado Democrático de Direito é possível constatar um processo de irradiação das normas constitucionais sobre o ordenamento jurídico brasileiro. A partir desse cenário, o presente trabalho se propõe a desvendar o modo que se apresentam os princípios constitucionais da isonomia e da capacidade contributiva no exercício interpretativo do Supremo Tribunal Federal quando da análise dos princípios no controle de constitucionalidade nos últimos anos, com o intuito de gerar maior previsibilidade e segurança jurídica à sociedade sobre o tema tratado no âmbito judicial. Para tanto, o método de abordagem adotado é o dedutivo, uma vez que o estudo parte de princípios reconhecidos no direito constitucional e tributário (de modo geral) para checar sua aplicação prática nos julgados examinados no curso da pesquisa (análise individualizada). A investigação leva em conta os aspectos de sua natureza aplicada, tendo em vista que o objeto de estudo está limitado às decisões do Supremo Tribunal Federal. Por fim, o procedimento técnico empregado é o bibliográfico. Os resultados obtidos demonstram uma interferência judicial mínima mais voltada para a aplicação da proporcionalidade dos critérios da tributação sobre o caso concreto do que uma preocupação com a liberdade do legislador na escolha dos critérios empregados.

ABSTRACT: In the Democratic Rule of Law, it is possible to see a process of constitutional irradiation on the Brazilian legal system. From this scenario, this paper proposes to unveil the way which the constitutional principles of isonomy and contribution capacity are presented in the interpretative exercise of the Supreme Federal Court when analyzing this principles in the judicial review in last years, in order to achieve greater predictability and legal certainty for society on the subject in the judicial sphere. Therefore, it adopts the deductive method of approach, since the study of the principles recognized in the constitutional and tax law (in general) to check its practical application in the judgements examined in the course of the research (individualized analysis). The research takes into account aspects of applied nature, the subject is directed to its implementation in the judicial review of Supreme Federal Court. Finally, the technical procedure used is the bibliographic. The results obtained demonstrate a minimal judicial interference more focused on the application of the proportionality as criteria of taxation in the specific case than a concern with the freedom of the legislator in choosing the standards employed.

PALAVRAS-CHAVE: constitucionalização do direito tributário; controle de constitucionalidade; princípio da capacidade contributiva; princípio da isonomia.

KEYWORDS: constitutionalization of tax law; judicial review; principle of contribution capacity; principle of isonomy.

SUMÁRIO: Introdução; 1 Princípio constitucional da isonomia; 2 Princípio constitucional da capacidade contributiva; 3 Análise da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal; 4 Exame analítico do teor dos julgamentos encontrados; Conclusão; Referências.

SUMMARY: Introduction; 1 Constitutional principle of isonomy; 2 Constitutional principle of contribution capacity; 3 Analysis of the jurisprudence of the Supreme Federal Court; 4 Analytical examination of the researched judgments; Conclusion; References.

Biografia do Autor

Fernando Roberto Schnorr Alves, Escola Superior da Magistratura Federal do Rio Grande do Sul - ESMAFE/RS.

Advogado. Mestre em Direito na Universidade de Santa Cruz do Sul/RS - UNISC, na linha de pesquisa Constitucionalismo Contemporâneo. Especialista em Direito Público pela Escola Superior da Magistratura Federal do Rio Grande do Sul - ESMAFE/RS. Graduado em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC.

Referências

ALEXY, Robert. Teoria dos direitos fundamentais. Trad. Virgílio Afonso da Silva. 2. ed. São Paulo: Malheiros, 2011.

BARROSO, Luís Roberto. Neoconstitucionalismo e constitucionalização do direito: o triunfo tardio do direito constitucional no Brasil. Salvador: Revista Eletrônica sobre a Reforma do Estado, nº 9, mar./abr./maio 2007.

BECHO, Renato Lopes. Lições de direito tributário: teoria geral e constitucional. São Paulo: Saraiva, 2011.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, 05 de outubro de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 22 abr. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 2.898/DF, Julgado em 10 out. 2018. Rel. Min. Dias Tóffoli. Brasília, DF, 2018. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 4.002/DF, Julgado em 04 abr. 2018. Rel. Min. Ricardo Lewandowski. Brasília, DF, 2018. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ação Rescisória nº 2.315/PR, Julgado em 19 jun. 2015. Rel. Min. Dias Tóffoli. Brasília, DF, 2015. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Agravo Regimental no Recurso Extraordinário nº 218.287/SC, Julgado em 28 mar. 2017. Rel. Min. Dias Tóffoli. Brasília, DF, 2017. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Embargos de Declaração no Recurso Extraordinário com Agravo nº 941.116/MG, Julgado em 15 mar. 2016. Rel. Min. Edson Fachin. Brasília, DF, 2016. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Embargos de Declaração nos Embargos de Declaração no Recurso Extraordinário nº 218.287/SC, Julgado em 30 jun. 2017. Rel. Min. Dias Tóffoli. Brasília, DF, 2017. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário com Agravo nº 746.614/SP, Julgado em 10 jun. 2014. Rel. Min. Teori Zavaski. Brasília, DF, 2014. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário com Agravo nº 907.685/BA, Julgado em 30 nov. 2016. Rel. Min. Gilmar Mendes. Brasília, DF, 2016. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário com Agravo nº 911.810/SP, Julgado em 24 set. 2015. Rel. Min. Rosa Weber. Brasília, DF, 2015. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário com Agravo nº 941.116/MG, Julgado em 17 fev. 2016. Rel. Min. Edson Fachin. Brasília, DF, 2016. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário com Agravo nº 1.072.655/SP, Julgado em 23 set. 2017. Rel. Min. Dias Tóffoli. Brasília, DF, 2017. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário com Agravo nº 1.150.269/SP, Julgado em 18 fev. 2019. Rel. Min. Edson Fachin. Brasília, DF, 2019. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário com Agravo nº 1.182.627/SP, Julgado em 22 mar. 2019. Rel. Min. Gilmar Mendes. Brasília, DF, 2019. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário com Agravo nº 1.191.676/MS, Julgado em 11 mar. 2019. Rel. Min. Alexandre de Moraes. Brasília, DF, 2019. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário com Agravo nº 1.195.646/SP, Julgado em 15 maio 2019. Rel. Min. Cármen Lúcia. Brasília, DF, 2019. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário com Agravo nº 1.202.188/SP, Julgado em 24 maio 2019. Rel. Min. Cármen Lúcia. Brasília, DF, 2019. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário nº 226.899/SP, Julgado em 01 out. 2014. Rel. Min. Cármen Lúcia. Brasília, DF, 2014, p. 43. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário nº 396.785/DF, Julgado em 09 jun. 2015. Rel. Min. Dias Tóffoli. Brasília, DF, 2015. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário nº 592.145/SP, Julgado em 05 abr. 2017. Rel. Min. Marco Aurélio. Brasília, DF, 2017, p. 462-463. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 04 dez. 2018.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário nº 636.343/PR, Julgado em 12 ago. 2016. Rel. Min. Roberto Barroso. Brasília, DF, 2016. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário nº 640.905/SP, Julgado em 15 dez. 2016. Rel. Min. Luiz Fux. Brasília, DF, 2016. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário nº 714.945/RS, Julgado em 22 jan. 2014. Rel. Min. Rosa Weber. Brasília, DF, 2014. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário nº 791.562/RJ, Julgado em 04 abr. 2019. Rel. Min. Luiz Fux. Brasília, DF, 2019. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário nº 792.879/GO, Julgado em 01 ago. 2018. Rel. Min. Edson Fachin. Brasília, DF, 2018. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário nº 873.592/SP, Julgado em 24 mar. 2015. Rel. Min. Rosa Weber. Brasília, DF, 2015. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário nº 934.360/DF, Julgado em 01 fev. 2016. Rel. Min. Edson Fachin. Brasília, DF, 2016. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário nº 973.269/SC, Julgado em 30 set. 2016. Rel. Min. Luiz Fux. Brasília, DF, 2018. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário nº 1.163.262/RS, Julgado em 12 nov. 2018. Rel. Min. Roberto Barroso. Brasília, DF, 2018. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário nº 1.200.455/SP, Julgado em 16 abr. 2019. Rel. Min. Gilmar Mendes. Brasília, DF, 2019. Disponível em: <http://www.stf.jus.br>. Acesso em: 27 jun. 2019.

BUFFON, Marciano; MATOS, Mateus Bassani de. Tributação no Brasil no Século XXI: uma abordagem hermeneuticamente crítica. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2015.

CALIENDO, Paulo. Direito tributário e análise econômica do Direito: uma visão crítica. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

CANAZARO, Fábio. Essencialidade tributária: igualdade, capacidade contributiva e extrafiscalidade na tributação sobre o consumo. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2015.

FOLLONI, André. Isonomia na tributação extrafiscal. Rev. direito GV, São Paulo, v. 10, nº 1, p. 201-220, Jun. 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S1808-24322014000100008&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 02 Dec. 2018.

LEAL, Mônia Clarissa Hennig. Jurisdição Constitucional Aberta: reflexões sobre a legitimidade e os limites da Jurisdição Constitucional na ordem democrática – uma abordagem a partir das teorias constitucionais alemã e norte-americana. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.

MELLO, Celso Antônio Bandeira de. Conteúdo jurídico do princípio da igualdade. 3. ed. São Paulo: Malheiros, 2009.

PAULSEN, Leandro. Capacidade colaborativa: princípio de direito tributário para obrigações acessórias e de terceiros. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2014.

PONTES, Helenilson Cunha. O princípio da proporcionalidade e o Direito Tributário. São Paulo: Dialética, 2000.

SABBAG, Eduardo. Manual de direito tributário. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

SCHOUERI, Luís Eduardo. Direito Tributário. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

Downloads

Publicado

2021-05-26

Como Citar

ALVES, F. R. S. A IRRADIAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DA ISONOMIA E DA CAPACIDADE CONTRIBUTIVA SOBRE TRIBUTOS EXTRAFISCAIS: UMA ANÁLISE DA JURISPRUDÊNCIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Revista da AJURIS - QUALIS A2, [S. l.], v. 47, n. 149, p. 95–130, 2021. Disponível em: https://revistadaajuris.ajuris.org.br/index.php/REVAJURIS/article/view/1103. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

DOUTRINA NACIONAL
Loading...