A LIBERDADE RELIGIOSA

A LIBERDADE RELIGIOSA

Autores

  • Rennan Faria Krüger Thamay

Resumo

RELIGIOUS FREEDOM

RESUMO: Em meio a esta sociedade complexa de volátil crescimento nasce a necessidade de debater o conflito entre dois direitos fundamentais de igual hierarquia, quiçá relativos, e que em cada caso podem ter soluções diferenciadas, conforme os pontos cruciais do caso em concreto. O estudo se dará a partir de um julgado ocorrente no Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul que possibilitou a manutenção da liberdade religiosa em detrimento do direito à vida. Esse caso mudou a posição, até então paradigmática, do Tribunal do referido Estado, por abrir campo para a discussão e não meramente repetir a sempre batida e tradicional decisão que era desfavorável ao direito de liberdade religiosa das testemunhas de Jeová em relação ao direito à vida. As premissas são colocadas, erradas ou certas, de forma a demonstrar que nenhum direito fundamental é absoluto e, desta forma, valoriza-se a escolha do ser humano buscando manter sempre a sua dignidade, por mais que para isso se tenha que utilizar a teoria da ponderação dos princípios ou direitos fundamentais. 

PALAVRAS-CHAVE: Dignidade da pessoa humana; direitos fundamentais; liberdade religiosa e direito à vida; princípio da proporcionalidade ou ponderação e testemunhas de Jeová e transfusão de sangue. 

ABSTRACT: In the midst of this complex society of volatile growth comes the need to discuss the conflict between two fundamental rights of equal rank, perhaps related, and that in each case may have different solutions, as the crucial points of the particular case. The study will take place from a trial occurring at the Court of the State of Rio Grande do Sul which enabled the maintenance of religious freedom at the expense of the right to life. This case changed the position hitherto paradigm, the Court of that State, for open field for discussion purposes only and does not always repeat the beat and traditional decision that was unfavorable to the right to religious freedom of Jehovah’s Witnesses regarding the right to life. The premises are placed, right or wrong, to demonstrate that no fundamental right is absolute and thus the choice is valued human seeking always keep your dignity, as much as it is to have to use the theory of weighting principles or fundamental rights. 

KEYWORDS: Dignity of the human person; fundamental rights; religious freedom and the right to life; the principle of proportionality or balancing and Jehovah's Witnesses and blood transfusions. 

SUMÁRIO: Introdução; 1 A liberdade religiosa vista pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul: aspectos introdutórios; 2 Os fundamentos jurídicos da decisão que muda o paradigma anterior; Considerações finais; Referências. 

SUMMARY: Introduction; 1 A view of religious freedom by the Court of the State of Rio Grande do Sul: introductory aspects; 2 The legal basis of the decision that changes the previous paradigm; Final Thoughts; References.

Referências

ABRAMOVICH, Víctor; COURTIS, Chistian. El umbral de la cuidadanía: el significado de los derechos sociales en el Estado social constitucional. 1. ed. Buenos Aires: Del Puerto, 2006.

ACKERMAN, Bruce. La política del diálogo liberal. Trad. Gabriel L. Alonso. Barcelona: Gedisa Editorial, 1999.

ALEXY, Robert. Teoria dos direitos fundamentais. Trad. Virgilio Afonso da Silva. São Paulo: Malheiros, 2008.

ANTONIO OSUNA HERNÁNDEZ, Largo. Hermenéutica jurídica en torno a la hermenéutica de Hans-Georg Gadamer. Valladolid: Universidad de Valladolid, 1992.

ANUÁRIO da Justiça Brasil 2011: o Poder Judiciário da última palavra. São Paulo: Consultor Jurídico, 2011.

ÁVILA, Humberto. Teoria dos princípios da definição à aplicação dos princípios jurídicos. 2. ed. São Paulo: Malheiros, 2003.

AYALA CORAO, Carlos. La convergencia entre el derecho constitucional y el derecho internacional de los derechos humanos. El Derecho. Tomo 160.

BARACHO, José Alfredo de Oliveira. Direito constitucional contemporâneo: homenagem ao Professor Paulo Bonavides. In: ROCHA, Fernando Luiz Ximenes; MORAES, Filomeno (Org.). Belo Horizonte: Del Rey, 2005.

BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de direito constitucional. 22. ed. São Paulo: Saraiva, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. La sociedad sitiada. Trad. Mirta Rosenberg. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2006.

______. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

______. O mal-estar da pós-modernidade. Trad. Mauro Gama, Cláudia Martinelli Gama. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

______. Vida líquida. Trad. Albino Santos Mosquera. 1. ed. 4. reimp. Buenos Aires: Paidós, 2009.

BERCOVICI, Gilberto; SCHMITT, Carl. O Estado total e o guardião da Constituição. Revista Brasileira de Direito Constitucional, São Paulo, n. 1, p. 197, jan./jun. 2003.

______. Revista da História das Idéias: as possibilidades de uma teoria do Estado, v. 26, 2005.

BIDART CAMPOS, Germán; CARNOTA, Walter. Derecho constitucional comparado. Buenos Aires: Ediar, 2000.

BIDART CAMPOS, Germán. Manual de la Constitución reformada. Buenos Aires: Ediar, 1998.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Trad. Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

______. El futuro de la democracia. Trad. José F. Fernández Santillán. México: Fondo de Cultura Económica, 1999.

______. Liberalismo e democracia. Trad. Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: Brasiliense, 2000.

______. O positivismo jurídico: lições de filosofia do direito. Trad. Márcio Pugliesi, Edson Bini e Carlos E. Rodrigues. São Paulo: Ícone, 1995.

______. Teoria do ordenamento jurídico. Trad. Maria Celeste Cordeiro Leite dos Santos. 10. ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1994.

______. Teoria do ordenamento jurídico. Trad. Maria Celeste Cordeiro Leite dos Santos. 10. ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1999.

BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional. 13. ed. São Paulo: Malheiros, 2003.

______. Teoria constitucional da democracia participativa. São Paulo: Malheiros, 2001.

BOURDIEU, Pierre. Campo de poder: campo intelectual. Buenos Aires: Estroboas Copia, 2003.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Direito constitucional e teoria da Constituição. 7. ed. Coimbra: Almedina, 2007.

______. Estudo sobre direitos fundamentais. 1. ed. São Paulo: RT, 2008.

CARVALHO, Kildare Gonçalves. Direito constitucional didático. 8. ed. Belo Horizonte: Del Rey, 2002.

CHEVALLIER, Jacques. O Estado pós-moderno. Trad. Marçal Justen Filho. Belo Horizonte: Forum, 2009.

CITTADINO, Gisele. Pluralismo direito e justiça distributiva: elementos da filosofia constitucional contemporânea. 4. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2009.

DURIGUETTO, Maria Lúcia. Sociedade civil e democracia – Um debate necessário. São Paulo: Cortez, 2007.

DUVERGER, Maurice. Constitutions et documents politiques. Paris: PUF, 1974.

DWORKIN, Ronald. Levando os direitos a sério. Trad. Nelson Boeira. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

______. Uma questão de princípio. Trad. Luís Carlos Borges. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

FARIA, José Eduardo. A crise constitucional e a restauração da legitimidade. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 1985.

FAYT, Carlos S. Derecho politico. 4. ed. Buenos Aires: Abeledo-Perrot, 1962.

FERRAJOLI, Luigi. A soberania no mundo moderno. Trad. Carlos Coccioli, Márcio Lauria. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FERRAZ JÚNIOR, Tércio Sampaio. A ciência do direito. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1986.

FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. Curso de direito constitucional. 32. ed. São Paulo: Saraiva, 2006.

FISS, Owen. El derecho como razón pública. Trad. Esteban Restrepo Saldarriga. Madrid/Barcelona/Buenos Aires: Marcial Pons, 2007.

FOUCAULT, Michel. El orden del discurso. Barcelona: Tusquets, 1992.

______. Las palabra y las cosas: una arqueologia de las ciencias humanas. 2. ed. Buenos Aires: Siglo XXI Editores Argentina, 2008.

FREITAS, Juarez. A interpretação sistemática do direito. 5 ed. São Paulo: Malheiros, 2010.

______. O controle dos atos administrativos e os princípios fundamentais. São Paulo: Malheiros, 1997.

______. Sustentabilidade: direito ao futuro. 1. ed. reimp. Belo Horizonte: Fórum, 2011.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Trad. Flávio Paulo Meurer. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

______. Verdade e método II. Trad. Flávio Paulo Meurer. Petrópolis: Vozes, 1997.

GANDHI, Mahatma. O pensamento vivo. 1. ed. Lima: Los Libros Mas Pequenos del Mundo, 2007.

GARAPON, Antonie. Bem julgar: ensaio sobre o ritual judiciário. Lisboa: Instituto Piaget, 1997.

______. Le guardién de promesses. Paris: Odile Jacob, 1996.

GARCÍA-PELAYO, Manuel. As transformações do estado contemporâneo. Trad. Agassiz Almeida Filho. Rio de Janeiro: Forense, 2009.

GARGARELLA, Roberto. Teoría y crítica del derecho constitucional. Buenos Aires: Abeledo-Perrot, t. I, 2008.

GONZÁLES PÉREZ, Jesús. La dignidad de la persona. Madrid: Civitas, 1999.

HABERLE, Peter. Hermenêutica constitucional – A sociedade aberta dos intérpretes da constituição: contribuição para a interpretação pluralista e “procedimental” da constituição. Trad. Gilmar Ferreira Mendes. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 1997.

HABERMAS, Jurgen. Direito e democracia. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, v. I, 1997.

______. Direito e democracia. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, v. II, 1997.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo: Edições Loyola, 1992.

HAURIOU, Maurice. Derecho público y constitucional. 2. ed. Madri: Reus, 1927.

HELLER, Agnes. Más Allá de la justicia. Barcelona: Editora Crítica, 1990.

JAYME, Erik. Cours général de droit intenacional prive. In recueil des cours. Académie de droit intenacional, t. 251, 1997.

KAUFMANN, Arthur. La filosofia del derecho en la posmodernidad. Trad. Luis Villar Borda. Santa Fe de Bogotá: Editorial Temis S.A., 1992.

______. La filosifía del derecho en la posmodernidad. Trad. Luis Villar Borda. Bogotá: Temis, 1998.

KELSEN, Hans. Jurisdição constitucional. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

______. O que é justiça? A justiça; o direito e a política no espelho da ciência. Trad. Luís Carlos Borges. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

______. Teoria pura do direito. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

KUMAR, Krishan. Da sociedade pós-industrial à pós-moderna. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

LABOULAYE, Edouard René Lefebvre de. Do Poder Judiciário. In: O Poder Judiciário e a Constituição. Porto Alegre: Coleção Ajuris 4, 1977.

LABRUSSE-BRIOU, Catherine. Le droit saisi par la biologie. Des juristes au laboratoire. Librairie Générale de droit et de jurisprudence. París, 1996.

LIPOVETSKY, Gilles. Os tempos hipermodernos. Trad. Mário Vilela. São Paulo: Barcarolla, 2004.

LOEWENSTEIN, Karl. Teoria de la Constitución. Barcelona: Ariel, 1983.

LOSANO, Mario G. Sistema e estrutura no direito. Trad. Luca Lamberti. São Paulo: Martins Fontes, v. II, 2010. p. 135 e ss.

LUHMANN, Niklas. Sitemi sociali: fondamenti di una teoria generale. Bolonha: Il Mulino, 1990.

LYOTARD, Jean-François. O pós-moderno. Rio de Janeiro: Olympio, 1986.

MARÍ, Enrique. Racionalidad e imaginario social en el discurso del orden; en VV.AA. Derecho y psicoanálisis. Teoría de las ficciones y función dogmática. Buenos Aires: Hachette, 1987.

MERRYMAN, John Henry. La tradición jurídica romano-canónica. Trad. Eduardo L. Suárez. Ciudad de México: Fondo de Cultura Económica, 1997.

MIRANDA, Jorge. Teoria do estado e Constituição. Rio de Janeiro, 2002.

MONTESQUIEU, Charles de Secondat; Baron de. Do espírito das leis. Trad. Jean Melville. São Paulo: Saraiva, 2000.

MORAES, Alexandre de. Direito constitucional. 19. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MORAIS, Jose Luis Bolzan de. A ideia do direito social: o pluralismo jurídico de Georges Gurvitch. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 1997.

______. As crises do Estado e da constituição e a transformação espacial dos direitos humanos. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2002.

NEVES, Antônio Castanheira. O direito hoje em com que sentido? Lisboa: Editora Piaget, 2002.

______. O instituto dos “assentos” e a função jurídica dos tribunais supremos. Coimbra, 1983.

OST, François. O tempo do direito. Lisboa: Instituto Piaget, 1999.

PERELMAN, Chaim. Ética e direito. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

PÉREZ ROYO, Javier. Corso de derecho constitucional. Madrid-Barcelona: Marcial Pons, 1998.

PIÇARRA, Nuno. A separação dos poderes como doutrina e princípio constitucional – Um contributo para o estudo das suas origens e evolução. Coimbra: Coimbra Editora, 1989.

PRIETO SANCHIS, Luis. Estudios sobre derechos fundamentales. Madrid: Debate, 1990.

RAFFIN, Marcelo. La experiencia del horror: subjetividad y derechos humanos en las dictaduras y posdictaduras del cono sur. 1. ed. Buenos Aires: Del Puerto, 2006.

REALE, Miguel. Crise do capitalismo e crise do Estado. São Paulo: Senac, 2000.

ROCHA, Álvaro Felipe Oxley da. Sociologia do direito: a magistratura no espelho. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2002.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. O contrato social. Apresentação de João Carlos Brum Torres. Trad. Paulo Neves. Porto Alegre: L&PM, 2009.

SAGUÉS, Nestor Pedro. Dignidad de La persona e ideologia constitucional. JÁ, 1994, IV, 904.

______. Elementos de derecho constitucional. Buenos Aires: Artraz, t. I, 1997.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice. O social e o político na pós-modernidade. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

______. Um discurso sobre as ciências. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

______. Para uma revolução democrática da justiça. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

SARLET, Ingo Wolfgang. A eficácia dos direitos fundamentais. 4. ed. rev. e atual. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2005.

______. Dignidade da pessoa humana e direitos fundamentais na Constituição Federal de 1988. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2001.

SCHMITT, Carl. O conceito do político. Trad. Geraldo de Carvalho. Belo Horizonte: Del Rey, 2009.

______. O guardião da Constituição. Trad. Geraldo de Carvalho. Belo Horizonte: Del Rey, 2007.

SCHOPENHAUER, Arthur. Como vencer um debate sem precisar ter razão: em 38 estratagemas. Trad. Daniela Caldas e Olavo de Carvalho. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997.

SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional positivo. 20. ed. São Paulo: Malheiros, 2001.

STRECK, Lenio Luiz. Hermenêutica jurídica e(m) crise: uma exploração hermenêutica da construção do direito. 5. ed. rev. e atual. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2004.

______. Jurisdição constitucional e hermenêutica: uma nova crítica do direito. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

______. Jurisdição constitucional e hermenêutica: uma nova crítica do direito. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2002.

______. O que é isto – Decido conforme minha consciência? Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2010.

______. Verdade e consenso. Constituição; hermenêutica e teorias discursivas. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2006.

TARELLO, Giovanni. Storia della cultura giuridica moderna. Bologna: Il Mulino, 1976.

THAMAY, Rennan Faria. A relativização da coisa julgada como decorrência da crise do Poder Judiciário na perspectiva do direito previdenciário. Revista de Direito Social, v. 36, 2009.

THON, Agusto. Norma giuridica e diritto soggesttivo. Trad. Alessandro Levi. 2. ed. Padova: Cedam, 1951.

TOCQUEVILLE, Alexis de. La démocratie em Amérique. Paris: Garnier: Flammarion, t. II, 1951.

VATTIMO, Gianni. O fim da modernidade: niilismo e hermenêutica na cultura pós-moderna. Lisboa: Editorial Presença, 1987.

VILLEY, Michel. A formação do pensamento jurídico moderno. Trad. Claudia Berliner. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

VOLTAIRE. Dicionário filosófico. Trad. Pietro Nassetti. São Paulo: Martin Claret, 2008.

WALDRON, Jeremy. A dignidade da legislação. Trad. Luíz Carlos Borges. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

WEBER, Max. La ética protestante y el espíritu del capitalismo. Buenos Aires: Ediciones Libertador, 2007.

Downloads

Publicado

2012-12-27

Como Citar

THAMAY, R. F. K. A LIBERDADE RELIGIOSA. Revista da AJURIS - QUALIS A2, [S. l.], v. 39, n. 128, p. 421–448, 2012. Disponível em: https://revistadaajuris.ajuris.org.br/index.php/REVAJURIS/article/view/746. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

JURISPRUDÊNCIA COMENTADA
Loading...